poesia

(20) Poesia da Semana

A espera por entre as memórias nunca teve fim
Na maré dos sonhos que não foram iguais
Ainda navego a esmo

Sem andar espero te encontrar
Pra reunir o que não foi feito depois
Com você espero me reencontrar
Pra dividir o que não se faz a sós

Espero te encontrar todo dia o sol brilhar
Um sonho pra viver e buscar
Não vá se convencer que é erro viver o seu pensar
Os passos que houver compartilhar

A espera por entre as memorias nunca teve fim
Na maré dos sonhos que não foram iguais
Ainda navego a esmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s