poesia

(30) Poesia da Semana

Num sábado era fácil perceber
Que isso iria acontecer
As vidas ceifadas num grande colchão
No meio da praça do canhao

Eu vou mas
Só peça pra ajudar
Quando eles começarem atirar
A vida é só
Seu olhar
Meu amor

E começou discreto na saída da cidade
No mesmo busão que me tirava de lá
Armei a c4 no meio da rua
Os pm chegou começaram a atirar

Num sábado era fácil perceber
Que isso iria acontecer
As vidas ceifadas num grande colchão
No meio da praça do canhão

Eu vou mas
Só peça pra ajudar
Quando eles começarem atirar
A vida é só
Seu olhar
Meu amor

poesia

(29) Poesia da Semana

Eu me sentia tao confuso ali
O mensageiro do vento a me iludir

Engulo a seco o seu perdão aqui
A luz que entra me chama para viver

Não quero mais me importar
Com tudo o que foi ou será
Se estou aqui com você
Sinto que finalmente me chamou

E agora estou pronto para agir
Com a voz que guia os passos sem cair

Para viver assim sem pensar
Onde tudo deve ficar
Com você aqui posso ver
Que tudo realmente melhorou

poesia

(28) Poesia da Semana

Sua imagem no retrato
Ja não parece como antes
Talvez mudou
Mas prefira estar
Fonte de descontentamento
A perícia se importou
Mas a foto continua lá

Deixe estar
Só para ver
Se tudo irá desabar
Construir
Sem planejar
Nos faz crer que podemos errar

Aquela foto no retrato
Não vai mais envelhecer
Todo mundo já sabia
Você nunca se perdeu
Porque nada foi em vão
Todo mundo já sabia
Seja você

Deixe estar
Só para ver
Se tudo irá desabar
Construir
Sem planejar
Nos faz crer que podemos errar

poesia

(27) Poesia da Semana

Ela dizia que era cedo
Até tarde

E eu dormia entre as paredes
No seu quarto de estar

E a noite vive na gente
E a sorte não mais
Digo a corte
Livre esta gente
O ar

Não mais viver com o cheiro
Da rosa na noite estrelada no céu
No ar você

Só quero que alguém
Cuide de ti
Só quero que alguém
Cuide de ti
Só quero que alguém
Cuide de ti

E ela diz que ainda é cedo
Pra saudade

E eu dormia um pouco longe
Pra saudade evitar