poesia

(22) Poesia da Semana

Se um dia a lua for para a floresta
Videntes vão saber

Na calidosa lembrança do passado
Gigantes vão morrer

Não haja dor no que irá de ser
Não haja amor no que não é

Você disse até mais
Luz da lua até mais
Chorando fica feliz
Agora estou tão triste
Ela sorrindo até mais

Se a noite brilhar algum poema
Os sábios vão sofrer

Luz solar diga para alguma estrela
Sei que ela vai saber

Ela vai saber
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela sorrindo até mais
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela sorrindo até mais
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela sorrindo até mais

Diretoria

Informando sobre o que há de Novo

Estou disposto a publicar Novos Vídeos TODO fim de semana na página oficial do artista no Facebook, hoje, Domingo, 04 de Março, terminei de publicar os primeiros, das músicas “Poeira dos Astros” e “Aureal”, na sequência “Music Video” sobre o Álbum “Sonoridade Stridameris”, é previsto que dia 10 de Março, Novos Conteúdos sejam publicados, para quem segue as páginas, aproveite estas concepções visuais de cada música do álbum.

 

Continuem acompanhando, pois assim o ideal continuará a ser alicerçado!

Fiquem bem,

André Pupo

poesia

(21) Poesia da Semana

Sendo como as raízes
Foi o que lhe inspirou
De vez abraça o chão
Pra que o mundo sinta
Seu calor

Algumas novas sementes
Decentes sem negar
Que o vento lhe trouxe
E deveria cultivar

A chuva traz o presente
E as águas são termais
Aquecendo suas folhas
O fogo foi quem prometeu
Luz aquecendo suas folhas
O fogo foi quem prometeu

Sendo como as raízes
Foi o que lhe inspirou
De vez abraça o chão
Pra que o mundo sinta
Seu calor

poesia

(20) Poesia da Semana

A espera por entre as memórias nunca teve fim
Na maré dos sonhos que não foram iguais
Ainda navego a esmo

Sem andar espero te encontrar
Pra reunir o que não foi feito depois
Com você espero me reencontrar
Pra dividir o que não se faz a sós

Espero te encontrar todo dia o sol brilhar
Um sonho pra viver e buscar
Não vá se convencer que é erro viver o seu pensar
Os passos que houver compartilhar

A espera por entre as memorias nunca teve fim
Na maré dos sonhos que não foram iguais
Ainda navego a esmo

poesia

(19) Poesia da Semana

Você me disse aqui
Que o tempo ja passou
E o sonho se tornou real

A sua velha voz
Me trouxe a esperança
De enxergar tudo como é

Sempre livre no inicio
Mas confesso que a sua vontade é o meu vício
Cultuando motivos
E a verdade que sempre caminha no princípio

Sempre distante ali
Eu penso o mesmo
Que cada um de nós tem um caminho
Para viver para sorrir
Para levantar quando cair
Para viver para sorrir
Sem ter que olhar pra traz
O jeito é se unir

A sua velha voz
Me trouxe a esperança
De enxergar tudo como é

Sempre livre no inicio
Mas confesso que a sua vontade é o meu vício
Cultuando motivos
E a verdade Que sempre caminha no princípio

Entreterimento

Ouça a música nova “Almântra”! Iremos preparar uma versão oficial da música, esta música também está disponível no SoundCloud para download.

 

Letra – Almântra

Se um dia a lua for para a floresta
Videntes vão saber

Na cálidosa lembrança do passado
Gigantes vão morrer

Não haja dor no que irá de ser
Não haja amor no que não é

Você disse até mais
Luz da lua até mais
Chorando fica feliz
Agora estou tão triste
Ela sorrindo até mais

Se a noite brilhar algum poema
Os sábios vão sofrer

Luz solar diga para alguma estrela
Sei que ela vai saber

Ela vai saber
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela sorrindo até mais
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela sorrindo até mais
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela vai saber
Ela sorrindo até mais